Sete Palmos

 

 

Sinopse

                           Sete Palmos é um monólogo tragicômico de 50 minutos. Vitório Paixão é um homem comum de aproximadamente 40 anos. Após ser velado e enterrado, devido à catalepsia, ele desperta da aparente morte dentro do caixão. Ao descobrir que foi enterrado vivo, demonstra ter desprezo pela vida, mas faz de tudo para sobreviver. Mesmo vivendo em outra realidade totalmente diferente da normal, não consegue desprender-se do seu cotidiano, como: família, contas vencidas, fofocas, política, traição e amor.

Embora a peça apresente a morte, pois acontece dentro de um caixão, ela nos possibilita uma reflexão sobre a vida sob vários aspectos. O primeiro, mais filosófico, é o próprio sentido da nossa existência, perceber a fragilidade da vida e o milagre de estarmos vivos em meio a tanta desordem e violência por todos os lados, o que nos faz despertar para a alegria das pequenas coisas, aproveitar intensamente as emoções que a vida oferece, buscar valores que nos enobrecem, deixando de lado as mesquinharias humanas. O outro aspecto, político, percebemos na situação da peça uma metáfora do Brasil de hoje. Estamos enterrados  vivos, não vemos saídas, gritamos e ninguém nos ouve, nos debatemos e nada acontece. Há sete palmos de lama, de corrupção, de políticos gananciosos e desonestos, há um peso da ditadura da mídia que nos soterra de bobagens e nos imobiliza, sem que possamos escapar dela.

E presenciamos um típico cidadão brasileiro, que não dá o braço a torcer e acredita até o fim que vai encontrar uma saída.

 

 

FICHA TÉCNICA

 

Ator: Sérgio Carrera

Direção: Fernando Neves

Assistente de Direção: Tadeu Pinheiro

Músico: João Paulo Soran

Iluminação: Gil Teixeira

Fotos: Alexandre Diniz

Figurino: Sérgio Carrera

 

.